Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
Portal UMinho

Eventos




 Eventos

Docente do ICS é comissário da exposição “1820. Revolução Liberal do Porto”

De quinta-feira, 20.02.2020 até domingo, 6.09.2020
Until 6th September | Porto
A iniciativa assinala os 200 anos da Revolução Liberal, num programa do Município do Porto com meia centena de eventos, como colóquios, livros, congresso internacional, concertos, visitas e cinema.

A mostra documental destaca em especial fontes portuenses dos 40 dias que abalaram a História de Portugal e do Brasil. Para Lopes Cordeiro, a peça principal é a ata da Câmara de 24 de agosto de 1820, cheia de rasuras a preto, devido aos partidários de D. Miguel após a reviravolta absolutista. “O pronunciamento militar fez-se às 5 da manhã no Campo de Santo Ovídio (hoje Praça da República) e às 8 horas estava toda a gente na Câmara, onde se leu a proclamação da Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, que inaugurava um novo regime”, explica, surpreendido que este documento estivesse quase esquecido, apesar de então transcrito na imprensa local, divulgado em panfletos e republicado em jornais de Lisboa quando a capital aderiu ao movimento.

A exposição evoca também os principais antecedentes da revolta: a ida da corte para o Brasil em 1807; a invasão napoleónica do Porto e o desastre da Ponte das Barcas em 1809; a criação pelo príncipe regente D. João VI do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves em 1815; a conspiração de 1817 e a execução do general Gomes Freire de Andrade, que acicatou a revolta contra a presença inglesa e o governo do marechal Beresford; e a constituição da associação secreta Sinédrio, no Porto, para lançar a revolução. A vitória definitiva do liberalismo foi em 1833, com a derrota miguelista no cerco do Porto, mas Lopes Cordeiro focou a exposição até 4 de julho de 1821, quando o rei desembarcou em Lisboa. “Estavam cumpridos dois objetivos: a corte regressou e já havia documento provisório da Constituição”, observa Lopes Cordeiro, que lança em abril de 2020 um livro com centenas de páginas que superam largamente a função de catálogo da exposição.

+Info: www.publico.pt/2020/01/14/culturaipsilon/noticia/porto-celebra-200-anos-revolucao-liberal-pais-1900362
www.porto.pt/noticias/porto-tem-vasto-programa-de-comemoracoes-para-assinalar-o-bicentenario-da-revolucao-liberal-de-1820
www.cm-porto.pt/cultura/noticias?id=50512, 1820.porto.pt

Reconhecimento de Graus e Diplomas Estrangeiros

De segunda-feira, 22.07.2019 até quarta-feira, 30.09.2020
Universidade do Minho
Os processos de reconhecimento de graus académicos e diplomas de ensino superior atribuídos por instituições de ensino superior estrangeiras encontram-se, desde 1 de janeiro de 2019, regulados pelo Decreto Lei n.º 66/2018, de 16 de agosto, cuja aplicação está regulamentada pela Portaria n.º 33/2019, de 25 de janeiro.
O reconhecimento é solicitado na plataforma nacional RecON, através de formulário próprio disponibilizado na Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) anexando os documentos solicitados em formato digital.
Pela submissão do pedido, são devidos os emolumentos, conforme previsto na Tabela de Emolumentos da UMinho.
Após o pagamento dos referidos emolumentos, o pedido será analisado e alvo de tramitação na UMinho, até à decisão final, comunicada ao Requerente.
Esta informação não dispensa a consulta da página da DGES e legislação aplicável.

mais informações:
https://www.ese.uminho.pt/pt/estudar/cconselhopedagogico/reconhecimentodegrausediplomasestrangeiros/Paginas/constituicaojuri.aspx

Projeto “Rede Aproximar – Projeto de Apoio à População Idosa”

De sábado, 9.05.2020 até segunda-feira, 31.08.2020
Instituto de Educação - Universidade do Minho
O Instituto de Educação, Universidade do Minho, no âmbito da sua missão na área de conhecimento da Educação e domínios afins, mobilizando uma equipa de docentes, estudantes e investigadores do Mestrado em Educação - Educação de Adultos e Intervenção Comunitária, desenvolveu um projeto de intervenção socioeducativa e comunitária destinado à população idosa em situação de isolamento social, agravado em consequência da pandemia COVID-19. Com recurso a tecnologias da informação e comunicação o Projeto, através da rede social Facebook, visa desenvolver atividades em 4 áreas: i) estimulação cognitiva; ii) estimulação motora; iii) cultura, arte e tradição; iv) educação ao longo da vida.

O Projeto está disponível no Facebook (https://www.facebook.com/projeto.rede.aproximar).

Exposição fotográfica "O Tempo das Mulheres", de Alfredo Cunha

De sexta-feira, 26.06.2020 até segunda-feira, 31.08.2020
Até 31 de agosto | Largo do Paço, Braga
A Universidade do Minho inaugurou a 26 de junho, pelas 17h30, a exposição de fotografia “O Tempo das Mulheres”, da autoria de Alfredo Cunha. Patente na Nova Galeria do Paço, no centro de Braga, a mostra comemorativa dos 50 anos de carreira do fotógrafo celebra a condição feminina através de imagens captadas em vários contextos, relevando a beleza, a sensibilidade e a importância das mulheres nas sociedades. A inauguração da exposição contou com a presença do autor, para além de Rui Vieira de Castro, reitor da UMinho e Manuela Martins, vice-reitora para a Cultura e Sociedade.

A exposição resulta do trabalho publicado num livro com o mesmo nome que apresenta cerca de 220 imagens do fotógrafo, associadas a textos de Maria Antónia Palla, a histórica feminista com quem Alfredo Cunha iniciou a sua carreira de jovem fotojornalista. A exposição contempla imagens captadas em Portugal, mas também em África, na Ásia e um pouco por todo o mundo. A mostra esteve primeiramente patente ao público em 2019, no Torreão Poente da Praça do Comércio, um dos núcleos do Museu de Lisboa, e percorre agora outras partes do país, em itinerância, começando pela Nova Galeria do Paço da UMinho.

Alfredo Cunha começou a sua carreira profissional em 1970. Trabalhou nos principais jornais do país e em agências noticiosas. Foi fotógrafo oficial dos Presidentes da República António Ramalho Eanes e Mário Soares. Recebeu diversas distinções e homenagens, destacando-se a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique e variados prémios de fotografia. Realizou diversas exposições, individuais e coletivas e publicou dezenas de livros. Os seus testemunhos da chegada da democracia a Portugal – do próprio 25 de Abril de 1974, em Lisboa, e de outros momentos igualmente importantes – encontram-se, para sempre, na memória coletiva e na História do país. Para além do seu trabalho enquanto fotojornalista, Alfredo Cunha assume-se como uma figura marcante pela sua obra artística profundamente humanista, reveladora de identidades locais e de sentimentos universais, mostrando também o espírito dos lugares.

A mostra pode ser visitada até dia 31 de agosto, de segunda-feira a sábado, entre as 10h00 e as 18h00, e integra-se no ciclo de programação cultural definido para o ano de 2020 na Nova Galeria do Paço.

- Fotos: facebook.com/uminhooficial/posts/3107933162616252
- Reportagem vídeo (2m34s): www.youtube.com/watch?v=It3xGq_Riec

Procedimento Concursal | Investigador Auxiliar em Economia

De quarta-feira, 8.07.2020 até terça-feira, 18.08.2020
Descrição da função e qualificações
O Núcleo de Investigação em Políticas Económicas Empresarias (NIPE) da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho está a contratar um investigador júnior na área Economia. O concurso está aberto para diferentes áreas da Economia. Os investigadores serão incentivados a colaborar com membros efetivos da unidade. Os candidatos deverão ser doutorados em Economia há 5 anos ou menos. Requisitos adicionais: (i) Pelo menos dois trabalhos científicos, nas áreas específicas do concurso, publicados ou em processos de submissão, em revistas científicas internacionais indexadas no Journal of Citation reports. (ii) Domínio oral e escrito da língua inglesa.

Formalização das candidaturas

Os candidatos deverão remeter os seguintes documentos para nipe@eeg.uminho.pt até 18 de agosto de 2020.
- Cópia de certificado ou diploma do grau;
-
Curriculum vitae detalhado e estruturado de acordo com os itens do ponto 11;
-
Documento, integrado no curriculum vitae, onde sejam indicados os identificadores do candidato em serviços de indexação de publicações científicas, nomeadamente “ORCID iD”, “Scopus Author ID” e “Researcher ID”;
-
Carta de motivação;
-
2 Cartas de recomendação: uma carta do orientador do doutoramento e outra de outro académico qualificado para produzir comentários bem fundamentados sobre a elegibilidade do candidato; as cartas devem ser enviadas diretamente pelos revisores para nipe@eeg.uminho.pt.
-
Cópia dos dois trabalhos mais relevantes selecionados pelo candidato como mais representativos no que respeita à sua contribuição para o desenvolvimento e evolução das áreas disciplinares do concurso;
-
Resumo do Projeto de investigação (máx. 2 pág. A4);
-
Quaisquer outros documentos que o candidato considere relevantes, nomeadamente para a apreciação da informação a que se refere o n.º 2 do artigo 5.º do RJEC.

Antes de apresentar a sua candidatura, leia atentamente o aviso de abertura do concurso para aceder a todos os detalhes da candidatura e critérios de seleção.

Edital PT

Local de trabalho e remuneração mensal
O local de trabalho situa-se na Escola de Economia a Gestão da Universidade do Minho, no Campus de Gualtar, em Braga. A remuneração mensal a atribuir é de 3.201,40 Euros (ilíquido).